Kursy językowe Poznań
Kursy Poznań
Znajdujesz się w: Porto Alegre  »  Cantinho musical  »  Skank

SKANK

Skank to brazylijski zespół alternatywnego rocka i ska. Skank składa się z 4 muzyków: Samuel Rosa (gitara i śpiew), Henrique Portugal (instrumenty klawiszowe), Lelo Zaneti (gitara basowa) i Haroldo Ferretti (perkusja). Powstał w marcu  1991 w mieście Belo Horizonte. Zespół sprzedał już ponad 7 milionów płyt.
Największy wpływ na twórczość zespołu mają rytmy  reggae, ska i dub, Muzyka Skank to muzyka na ogół bardzo taneczna i z tego powodu stała się bardzo popularna w klubach i dyskotekach brazylijskich w latach 90 XX wieku i w pierwszych latach XXI wieku. Skank wzoruje się na takich zespołach jak Oasis, Os Paralamas do Sucesso, The Police , The Beatles, UB40, Ira!, Titãs, Van Halen i Led Zeppelin.

Dyskografia:

  •  Skank (1993)
  •  Calango (1994)
  •  O Samba Poconé (1996)
  •  Siderado (1998)
  •  Maquinarama (2000)
  •  Cosmotron (2003)
  •  Radiola (2004)
  •  Carrossel (2006)
  •  Estandarte (2008)
  •  Skank 91 (2012)

Canção Noturna

Misterioso luar de fronteira
Derramando no espinhaço quase um mar
Clareando a aduana
Venezuela, donde estás?


Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar
Minha camisa estampada com o rosto de Elvis
A minha guitarra é minha razão Minha sorte anunciada
Misteriosamente a lua sobre nada


Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar
Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui


Vem, mamacita, doida e meiga
Sempre o âmago dos fatos
Minha guerra e as flores do cactos
Poema, cinema, trincheira
Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar


Um cego na fronteira, filósofo da zona
Me disse que era um dervixe
Eu disse pra ele, camarada
Acredito em tanta coisa que não vale nada


Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar
Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui


Não sei por que nessas esquinas vejo o seu olhar
Não sei por que nessas esquinas vejo o seu olhar
Velejando, viajando, sol quarando
Meu querer, meu dever, meu devir
E eu aqui a comer poeira
Que o sol deixará
Não sei por que nessas esquinas vejo seu olhar
Não sei por que nessas esquinas vejo seu olhar

 

 

Garota Nacional

Aqui!
Nesse mundinho fechado
Ela é incrível
Com seu vestidinho preto
Indefectível
Eu detesto o jeito dela
Mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos
Como ninguém...


Oooooh!
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Daun Daun!...


Conhece-te a ti mesmo
E eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar
Bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo
Ao ignorar eu sei
Que ela me domina
No primeiro olhar...


Ooooh!
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Daun Daun!...


Eu quero te provar
Sem mêdo e sem amor
Oh! Oh!
Quero te provar
Por quê?...

Porque ela derrama
Um banquete, um palacete
Um anjo de vestido
Uma libido do cacete
Ela é tão vistosa
Que talvez seja mentira
Quem dera minha cara
Fosse de sucupira...


Conhece a ti mesmo
E eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar
Bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo
Ao ignorar eu sei
Que ela me domina
No primeiro olhar...


Oooooh!
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Daun Daun!...


Eu quero te provar
Sem medo e sem amor
Oh! Oh!
Quero te provar
Eu quero te provar
Cozida a vapor
Oh! Oh!
Quero te provar...


Aqui!
Nesse mundinho fechado
Ela é incrível
Com seu vestidinho preto
Indefectível
Eu detesto o jeito dela
Mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos
Como ninguém...


Oooooh!
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Baun Daun!...
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Daun Daun!...


Eu quero te provar
Sem medo e sem amor
Oh! Oh!
Quero te provar
Eu quero te provar
Cozida a vapor
Oh! Oh!
Quero te provar...


Eeeu!
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it, loom, dap'n daun
Beat it laun! Daun Daun!
Beat it laun! Daun Daun!...



 

Tanto (I Want You)

Coveiros gemem tristes ais
E realejos ancestrais juram que
Eu não devia mais querer você
Os sinos e os clarins rachados
Zombando tão desafinados
Querem, eu sei, mas é pecado
Eu te perder


É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto


Políticos embriagados
Dançando em guetos arruinados
E os profetas desacordados
A te ouvir
Eu sei que eles vem tomar meu
Drinque em meu copo a trincar
E me pedir pra te deixar partir


É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

Todos meus pais querem me dar
Amor que há tempos não está lá
E suas filhas vão me deixar
Por isso não me preocupar
Eu voltei pra minha sina
Contei pra uma menina
Meu medo só termina estando ali
Ela é suave assim
E sabe quase tudo de mim

 

Ela sabe onde eu
Queria estar enfim

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

Mas seu dândi vai
De paletó chinês
Falou comigo mais de uma vez
Não, eu sei, não fui muito cortês
Com ele,não
Isso, porque ele mentiu, porque
Te ganhou e partiu
Porque o tempo consentiu
Ou se não porque

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto
É tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto