Kursy językowe Poznań
Kursy Poznań
Znajdujesz się w: www.portoalegre.pl  »  Cantinho musical  »  Legiăo Urbana

Legiăo Urbana

    Jeden z najważniejszych zespołów rockowych w historii muzyki brazylijskiej. Wraz z Paralamas do Sucesso, Titãs i Barão Vermelho, tworzy tak zwany “Święty Kwartet”  brazylijskiego rocka.


     Zespół powstał w 1982 i przestał istnieć wraz ze śmiercią lidera grupy Renato Russo, który w wieku 36 lat zmarł w 1996 r. w Rio. 

    Pomimo, że Legiăo Urbana nie istnieje już od  ponad 15 lat, jest to nadal bardzo popularny zespół w Brazylii, który sprzedaje ponad ćwierć miliona krążków rocznie.  Renato Russo, znany ze świetnych i dobrze napisanych tekstów interesował się filozofią.  W szczególności lubił angielskiego filozofa Bertranda Russella, stąd jego pseudonim Russo (tak naprawdę nazywał się Renato Manfredini Júnior).  Lubił trudne społeczne i polityczne  tematy,  pisząc teksty, które często wyglądały jak filozoficzne rozprawy. Wśród różnych rankingów na najlepsze piosenki i teksty muzyki brazylijskiej, często możemy znaleźć prace Renato Russo wraz z tekstami Cartoly, Caetano Veloso, Viniciusa de Moraes czy Chico Buarque.

      Wśród setek piosenek Legião Urbana możemy wyróżnić przynajmniej kilka, których powinni posłuchać wszyscy, którzy chcą poznać ten zespół . Oto one:


1.    Ainda é Cedo
2.    Eduardo e Mônica
3.    Eu Sei
4.    Faroeste Caboclo
5.    Fátima
6.    Geração Coca-Cola
7.    Giz
8.    Hoje A Noite Não Tem Luar
9.    Índios
10.  Love In The Afternoon
11.  Pais e Filhos
12.  Perfeição
13.  Por Enquanto
14.  Que País É Esse?


       Jeśli ktoś chciałby dowiedzieć się więcej o Renato Russo albo o Legiăo Urbana, polecam linki poniżej.

http://www.legiaourbana.com.br/
http://www.renatorusso.com.br/site/

 

 Índios

Quem me dera ao menos uma vez
Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem
Conseguiu me convencer que era prova de amizade
Se alguém levasse embora até o que eu não tinha.

Quem me dera ao menos uma vez
Esquecer que acreditei que era por brincadeira
Que se cortava sempre um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda.

Quem me dera ao menos uma vez
Explicar o que ninguém consegue entender
Que o que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente.

Quem me dera ao menos uma vez
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
Fala demais por não ter nada a dizer.

Quem me dera ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente.

Quem me dera ao menos uma vez
Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
E esse mesmo Deus foi morto por vocês
Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda

Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim.

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera ao menos uma vez
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes.

Quem me dera ao menos uma vez
Fazer com que o mundo saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz ao menos, obrigado.

Quem me dera ao menos uma vez
Como a mais bela tribo
Dos mais belos índios
Não ser atacado por ser inocente.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda

Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim.

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui.


Pais e Filhos

Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu.
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender.

Dorme agora,
é só o vento lá fora.

Quero colo! Vou fugir de casa!
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três.

Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito.

É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.

Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim.

Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar.

Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais.

É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.

Sou uma gota d'água,
sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem,
Mas você não entende seus pais.

Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser,
Quando você crescer?