Kursy językowe Poznań
Kursy Poznań
Znajdujesz się w: www.portoalegre.pl  »  Cantinho musical  »  Caetano Veloso

Caetano Veloso

           Cantor e compositor baiano. Caetano Emanuel Viana Teles Veloso é um dos maiores inovadores da moderna MPB. Nasceu em Santo Amaro da Purificação (BA),em 1942 e, ainda na adolescência, aprendeu a tocar violão e começou a compor. Mudou-se para Salvador e, em 1963, ingressou na Faculdade de Filosofia, onde conheceu Gilberto Gil , Tom Zé e Gal Costa. Juntos montaram shows musicais na cidade. Em 1965, mudou-se para o Rio de Janeiro. Foi lançado no cenário musical nacional pela irmã, a já reconhecida cantora, Maria Bethânia ao estreiar no disco É de Manhã, gravado por ela.
             Em 1967, grava com Gal Costa o primeiro LP, Domingo, e escandaliza os conservadores ao apresentar, no 3º Festival da MPB da TV Record, a marcha-rancho Alegria, Alegria, acompanhada por guitarras elétricas. Em 1968, com Gilberto Gil, Rogério Duprat (maestro), Gal Costa, Torquato Neto (poeta) e Os Mutantes, divulga o disco Tropicália, ponto de partida do Tropicalismo, movimento de renovação musical e cultural. 

            Em 1968, lança É Proibido Proibir e é preso, com Gilberto Gil, pelos militares. Em julho de 1969, após dois shows de despedida, Caetano Veloso e Gilberto Gil partem para o exílio na Inglaterra. Voltam ao país em 1972.
           Seu reconhecimento internacional cresce notoriamente na década de 80. Apresenta-se com frequência em shows em outros países. Sua popularidade é grande principalmente em Portugal, na França, na Espanha, em Israel e nos países africanos. Desta década vem a maioria de seus grandes sucessos, tais como: Trem Das Cores, Eclipse oculto, Você é linda, Leăozinho ou Luz do Sol.
           Em 2004 foi considerado um dos mais influentes artistas latino-americanos da atualidade. Caetano Veloso já publicou mais de 50 albuns e foi o autor de trilhas sonoras de filmes como Frida, de Julie Taymor ou Habla com Ella, de Pedro Almodovar, entre outros.


Discografia


•    Cavaleiro/Samba em Paz (1965) Compacto Simples RCA Victor
•    Domingo (1967) - com Gal Costa - LP/CD Philips
•    Caetano Veloso (1968) - LP/CD Philips
•    Tropicália (1969) - LP/CD Philips
•    Caetano Veloso (1969) - LP/CD Philips
•    Caetano Veloso (1971) - LP/CD Philips
•    Transa (1972) - LP/CD Philips
•    Barra 69 - Caetano e Gil ao Vivo (1972) - com Gilberto Gil - LP/CD Pirata/Phonogram
•    Caetano e Chico Juntos e Ao Vivo (1972) - com Chico Buarque - LP/CD Philips/Phonogram
•    Araçá Azul (1972) - LP/CD Philips/Phonogram
•    Temporada de Verão - ao Vivo na Bahia (1974) - com Gilberto Gil e Gal Costa - LP/CD Philips/Phonogram
•    Jóia (1975) - LP/CD Philips/Phonogram
•    Qualquer Coisa (1975) - LP/CD Philips/Phonogram
•    Doces Bárbaros (1976) - ao vivo - com Gil, Bethânia e Gal - LP/CD Philips/Phonogram
•    Bicho (1977) - LP/CD Philips/Phonogram
•    Muitos Carnavais (1977) - LP/CD Philips/Phonogram
•    Muito - Dentro da Estrela Azulada (1978) - LP/CD Philips/Polygram
•    Maria Bethânia e Caetano Veloso ao Vivo (1978) - com Maria Bethânia - LP/CD Philips/Polygram
•    Cinema Transcendental (1979) - LP/CD Philips/Polygram
•    Outras Palavras (1981) - LP/CD Philips/Polygram
•    Cores, Nomes (1982) - LP/CD Philips/Polygram
•    Uns (1983) - LP/CD Philips/Polygram
•    Velô (1984) - LP/CD Philips/Polygram
•    Totalmente Demais (1986) - ao vivo - LP/CD Philips/Polygram
•    Caetano Veloso (1986) - lançado no BRASIL em 1990 - LP/CD WEA(EUA)/Polygram(Brasil) bhui9
•    Caetano Veloso (1987) - LP/CD Philips/Polygram
•    Estrangeiro (1989) - LP/CD Philips/Polygram
•    Circuladô (1991) - LP/CD Philips/Polygram
•    Circuladô ao Vivo (1992) - LP/CD Philips/Polygram
•    Tropicália 2 (1993) - com Gilberto Gil - LP/CD Philips/Polygram
•    Fina Estampa (1994) - CD Philips/Polygram
•    Fina Estampa ao Vivo (1995) - CD Polygram
•    Livro (1997) - CD Polygram
•    Prenda Minha - ao vivo (1998) - CD Polygram
•    Omaggio a Federico e Giulieta ao Vivo (1999) - CD Universal Music
•    Noites do Norte (2000) - CD Universal Music
•    Noites do Norte ao Vivo (2001) - CD/DVD Universal Music
•    Eu Não Peço Desculpa (2002) - CD Universal Music
•    A Foreign Sound (2004) - CD Universal Music
•    Cê (2006) - CD Universal Music
•    Cê ao vivo (2007) - CD/DVD Universal Music
•    Roberto Carlos e Caetano Veloso e a Música de Tom Jobim (2008) - CD/DVD Amigo Records/Sony Music
•    Zii e Zie (2009) - CD Universal Music

 

 

 

Mimar Você

Te quero só pra mim
Você mora em meu coração
Não me deixe só aqui
esperando mais um verão
Te espero meu bem
Pra gente se amar de novo
Mimar você
Nas quatro estações
Relembrar
O tempo que passamos juntos
Bem bom viver
Andar de mãos dadas
Na beira da praia
Por esse momento
Eu sempre esperei

 

 

 Tropicália

Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés os caminhões
Aponta contra os chapadões
Meu nariz
Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento no planalto central
Do país

Viva a bossa-sa-sa
Viva a palhoça-ça-ça-ça-ça
Viva a bossa-sa-sa
Viva a palhoça-ça-ça-ça-ça

O monumento é de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde atrás da verde mata
O luar do sertão
O monumento não tem porta
A entrada de uma rua antiga, estreita e torta
E no joelho uma criança sorridente, feia e morta
Estende a mão

Viva a mata-ta-ta
Viva a mulata-ta-ta-ta-ta
Viva a mata-ta-ta
Viva a mulata-ta-ta-ta-ta

No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa e fala nordestina e faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E nos jardins os urubus passeiam a tarde inteira
Entre os girassóis

Viva Maria-ia-ia
Viva a Bahia-ia-ia-ia-ia
Viva Maria-ia-ia
Viva a Bahia-ia-ia-ia-ia

No pulso esquerdo bang-bang
Em suas veias corre muito pouco sangue
Mas seu coração balança a um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhora e senhores ele põe os olhos grandes
Sobre mim

Viva Iracema-ma-ma
Viva Ipanema-ma-ma-ma-ma
Viva Iracema-ma-ma
Viva Ipanema-ma-ma-ma-ma

Domingo é o Fino da Bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém
O monumento é bem moderno
Não disse nada do modelo do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem

Viva a banda-da-da
Carmem Miranda-da-da-da-da
Viva a banda-da-da
                          Carmem Miranda-da-da-da-da  
               

                

 

 

 

Cajuína

Existirmos: a que será que se destina?
Pois quando tu me deste a rosa pequenina
Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina
Do menino infeliz não se nos ilumina
Tampouco turva-se a lágrima nordestina
Apenas a matéria vida era tão fina
E éramos olharmo-nos intacta retina
A cajuína cristalina em Teresina