Kursy językowe Poznań
Kursy Poznań
Znajdujesz się w: www.portoalegre.pl  »  Artykuły  »  História do Folar da Páscoa

História do Folar da Páscoa

 

    Estamos na Semana Santa. Sendo eu português existem tradições que me visitam a memória.
    Na Páscoa tem de existir o folar. Não se sabe precisar no tempo a origem da história do Folar da Páscoa. Sabe-se apenas que é muito antiga e segundo ela, uma jovem aldeã de seu nome Mariana, tinha como grande objectivo de vida, casar cedo.
    Tanto rezou a Santa Catarina, que lhe apareceram dois pretendentes ao mesmo tempo: um lavrador pobre e um fidalgo rico. A única coisa que era comum aos dois era a sua beleza e juventude.
Indecisa quanto à escolha a tomar, a jovem pediu novamente ajuda a Santa Catarina.
Ambos os jovens pretendentes a pressionavam a escolher, tendo mesmo o jovem lavrador marcado o Dia de Ramos como data limite para a resposta.
Ainda segundo a lenda, no Dia de Ramos, os dois jovens pretendentes envolveram-se numa luta de morte e, Mariana acabou por se decidir pelo lavrador Amaro.
Contudo Mariana vivia preocupada e receosa porque constava que o fidalgo iria aparecer no dia de casamento para matar o seu Amaro.
Mais uma vez recorre a Santa Catarina, e ao que parece, a santa sorriu-lhe enquanto Mariana rezava.
Mais tranquila e agradecida, Mariana ofereceu flores à sua santa. Quando chegou a casa tinha em cima da mesa um bolo com ovos inteiros e as flores que tinha oferecido à santa, ao lado.
Aflita, Mariana dirigiu-se a casa de Amaro para lhe contar o sucedido, mas a este também tinha acontecido o mesmo.
Ambos pensaram que tinha sido obra do fidalgo e quando o procuraram para agradecer, verificaram que também lhe tinham oferecido o mesmo.

É por isso que este bolo chamado folar se tornou numa tradição que é entendida como a celebração da reconciliação e da amizade.
Por isso no Domingo de Ramos os afilhados oferecem aos padrinhos um ramo de flores e recebem o folar no Dia de Páscoa. Actualmente o folar - bolo é muitas vezes trocado pelo folar – dinheiro.

Receita do Folar de Carne Transmontano (Bola de Carne)

Ingredientes:

6 ovos, 30 gr de fermento padeiro, 600gr de farinha, 2c. sopa de azeite, 60gr  banha,  60 gr de  manteiga e 0,5 dl de água tépida.
 
      Comece por dissolver o fermento na água morna com um pouco de sal e colocar os ovos em água morna para não estarem frios. Coloque a farinha num alguidar grande e abra uma cavidade no meio onde deita o fermento dissolvido e comece a envolver. Depois o azeite juntamente com a banha e a manteiga derretida morna e por fim os ovos inteiros, um a um , batendo sempre até a massa se desprender do fundo do tacho. Polvilhe com farinha e cubra com um pano envolvendo num cobertor para levedar uma hora. A massa deve triplicar de volume.  Nessa hora prepare as carnes, presunto, chouriço, se possível com carne gorda. Depois de levedar, prepare as formas untando-as com banha. Em baixo coloque metade da massa e depois distribua as carnes uniformemente, e em cima coloque o restante da massa. Vai a levedar mais uma hora, e depois pincela-se com uma gema e coloca-se no forno moderado durante 30 minutos.

Folar doce da Páscoa


Ingredientes:

500 gr farinha, 100 gr margarina, 35 g fermento de padeiro, 125 gr açúcar, 3 ovos, 2 dl leite morno, sal q.b., canela q.b., erva doce q.b., 4 ovos cozidos.
     Dissolva o fermento num pouco de leite morno e junte alguma farinha. Faça uma bola bem húmida e deixe levedar 20 minutos. Amasse a restante farinha com o açúcar, o leite e os ovos e junte a bola de fermento. Bata bem. Acrescente a manteiga, o sal e as especiarias. Bata até a massa se soltar da tigela. Deixe levedar numa tigela tapada com 1 cobertor, em local protegido e ameno, durante + ou - 3 horas. Faça então uma bola ligeiramente abolachada, onde coloca os ovos previamente cozidos e frios. Com um pouco de massa faça uns cordões que coloca a rodear os ovos. Pincele com gema de ovo, deixe levedar mais 1 pouco e leve a forno quente (200ºC) até ficar bem corado e cozido.